Sobre Nos

O que nós fazemos

A AEZA é uma associação sem fins lucrativos cujo principal objetivo é
proporcionar aos animais abandonados condições adequadas e dar-
lhes abrigo, comida e água, carinho e cuidados. Também pretendemos
encontrar novos lares para os nossos animais.
ADOPTAR UM CÃO DA AEZA VIVENDO FORA DE PORTUGAL.
Perguntam-nos como se pode adotar um cão nosso, vivendo fora de
Portugal. Aqui estão algumas notas para responder a essa pergunta.
Quando um cão chega ao nosso abrigo, ele é avaliado quanto à sua
personalidade para percebermos em qual grupo colocá-lo. É medicado,
se necessário e tratado para parasitas internos e externos. Após dez
dias, tempo em que o dono pode recuperar um cão perdido, ele é
esterilizado/castrado. Os cães ficam no abrigo, a menos que seja
necessário ir para uma FAT (família de acolhimento temporário), por
exemplo, para socializar um cão nervoso ou para cuidados médicos.
Todos os cães saem para caminhadas com os nossos voluntários. São
socializados com outros cães e também com adultos e crianças.
Fazemos sempre uma verificação ao lar para onde irão viver.
Organizamos todos os documentos necessários, Passaporte Pet e
Microchip.
Não fazemos testes para todas as doenças mediterrânicas porque são
muito dispendiosos, mas se solicitado, fa-lo-emos.
Podemos providenciar transporte aéreo para a Alemanha e Holanda ou
rodoviário para o Reino Unido.
Pessoas que viajam de carro poderão levar o animal com eles.
Não temos uma taxa de adoção definida mas se nos puder fazer um
donativo, agradecemos, é uma ajuda enorme porque nos permite
ajudar outros cães e gatos, afinal o nosso principal objetivo é encontrar
lares que cuidem bem dos nossos animais. Pedimos que os adotantes
paguem o passaporte do animal de estimação, o transporte e os testes
para doenças mediterrânicas.
Algumas dicas para ajuda-lo a acomodar-se ao seu novo animal de
estimação.
Antes da chegada, certifique-se de que o seu jardim é seguro e não
deixe o seu cão sozinho sem ter a certeza de que é seguro fazê-lo,
alguns cães são verdadeiros Houdinis. A chegada, o seu novo
companheiro estará cansado da viagem, tenha um lugar tranquilo
pronto para ele/ela. Tenha um recipiente com água e outro com
comida seca de boa qualidade. Se o cão vier diretamente do abrigo, ele
pode nunca ter estado numa casa e não conhece os ruídos estranhos
como a TV, aspirador, autoclismo, etc., então apresente-os lenta e
calmamente com muitos elogios e guloseimas. Eles não estão
acostumados ao chão de azulejos ou tapetes escorregadios e se vierem
diretamente do nosso abrigo, podem não ter sido treinados em casa,
portanto, conte com alguns acidentes.

Sugerimos que use sempre uma coleira + uma chapa com o seu número
de telefone. Use um arnês bem ajustado para as caminhadas, é mais
seguro que uma coleira, que pode soltar-se pela cabeça. Tenha em
mente que os nossos cães são cães do campo e não estão acostumados
ao barulho e agitação das cidades nem ao trânsito. Use o arnês e uma
trela extralonga para o treinar. Alguns cães adaptam-se bem a andar de
carro, outros ficam nervosos no início mas com elogios e guloseimas,
também acabam por se adaptar.
Leve o seu cão ao veterinário para ser examinado e certifique-se de que
o microchip está registrado em seu nome o mais rapidamente possível.
Os cães portugueses adaptam-se muito bem a um ambiente doméstico
e aqueles que tiveram um início de vida difícil são incrivelmente
generosos e são cães de companhia verdadeiramente maravilhosos.